Tristeza/depressão

Tristeza/depressão

2 de março de 2018 Pais 1

Ataques de tristeza todo mundo tem, mas eles são mais comuns na adolescência.

Alterações hormonais e a falta de habilidades em lidar com emoções (devido ao cérebro estar “em construção”) contribuem para isso.

Se isso ocorrer com uma garota, veja dicas que podem ajudá-las.

Quando estamos tristes, só conseguimos lembrar de coisas tristes e pensar num futuro triste.

Outras pessoas podem ver o problema de fora e ajudar os jovens a perceber que as coisas não estão tão ruins, ou ter ideias que os jovens não tiveram sobre como resolver seus problemas.

Assim, é muito importante explicar para os jovens que eles devem conversar sobre seus problemas.

Os pais devem aceitar que muitas vezes é difícil para um adolescente conversar com eles.

Adolescentes devem ser incentivados a encontrar alguém em quem confiam para fazê-lo.

Pode ser um(a) amigo(a), ou mesmo um adulto, um professor de quem gostam, vizinho…

Os jovens devem também saber que precisam insistir até encontrar alguém disposto a ajudar.

Lembre-se: o cérebro de adolescentes não funciona bem para lidar com a vida.

Assim, é normal que eles não consigam ver saídas para os seus problemas. Mas eles devem saber que isso não quer dizer que saídas não existem!

A tristeza costuma ser maior à noite.

Se não conseguirem conversar nessa hora, diga a eles que no dia seguinte as coisas não parecerão tão ruins.

Depressão diminui de manhã e melhora muito com exposição ao sol. Isso não é mito; reflete alterações fisiológicas do corpo. Avise os jovens disso, pois é comum que fiquem muito sem exposição à luz.

Fiquem atentos! A adolescência é um período da vida com alta incidência de problemas psiquiátricos.

Se achar que conhece um jovem que está deprimido demais, procure ajuda profissional.

Deixe-os a par também de que existe um serviço gratuito especializado que ajuda pessoas com problemas sem que elas tenham que se identificar.

Funciona 24 h por dia. Basta ligar para 188.

Vejam esses vídeos que explicam mais sobre depressão, bem como sobre isolamento socialansiedade que comumente acompanham a depressão.

Às vezes, falta de sono pode mudar o humor.

Para ter uma ideia se o “seu” adolescente poderia estar com depressão, responda esse questionário sobre os comportamentos dele ou dela (não é diagnóstico! Se estiver preocupado sobre isso, converse com um profissional).

Um comentário

  1. […] Isso resulta em maior impulsividade e tomada de riscos, falta de concentração e organização e grande flutuação no humor (euforias, tédio e depressão). […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *